outubro 04, 2020

Aprendi com a idade... | 3 poesias


1. Não me canso

É tão bom perceber 

A ausência do "e se"

É tão bom como

Mesmo depois de

Me ferir,

Ferir e

Ferir

Meu Deus,

Eu não me canso de sentir


2. Tipo pipa

Para esforços, só primeiras vezes

Porque se preciso continuar a forçar

Na segunda, na terceira...

É porque não me vale à pena

Me prende, não me ajuda a avançar

Apenas fico, se ficar não me pesar

Porque testo tudo, viajo o mundo

Mas só carrego o que me faz voar

E isso em nada tem a ver com desistir

Não encarar chuvas, não se deixar molhar

É sobre fluir, estar onde posso seguir

Porque se o aguaceiro nunca cessa

(Não abre espaço para o sol entrar)

Tudo o que faz é me afogar; me mata

É luta perdida, rua sem saída

Já deu tudo o que tinha de dar

Então ressuscito,

Marca cravada no pulmão

Assim como as de Cristo nas mãos

E dou meia volta, sigo outras rotas

Quem sou eu pra me limitar?

Pra insistir no que não vai acrescentar?

Haha... Nananinanão!

Sou aventureira, eu preciso me lançar

E o faço com c(alma), alinho os chakras

Plena, plena, rindo de mim mesma:

Me seguro apenas no que me elevar


3. Perfeição

Aprendi com a idade:

A perfeição está

Na espontaneidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário